Subscribe:

29 de junho de 2014

Eu escolhi esperar. O que vocês acham deste movimento?

Gostaria de saber o que vocês acham deste movimento que diz: "Eu escolhi esperar" No inicio eu achava interessante e muito edificante para a vida dos jovens, mas com o passar do tempo, tenho visto jovens iludidos idealizando o homem perfeito ou a mulher perfeita, o casamento perfeito, ficam achando que Deus vai descer do céu ou enviar um anjo que vai trazer o ''cara certo'' na porta da sua casa e falar: Eis aqui o teu varão.
Acredito que você possa escolher sim, apesar de suas vontades serem pecaminosas, mas quanto a isso todos podem escolher com aqueles que devem se unir em matrimônio, porém deve-se analisar bem a conduta cristã dele (a), se ele é trabalhador, se tem o caráter de um homem de Deus ou uma mulher de Deus. (Quando digo escolher, não digo que você deva sair procurando por aí, mas poder analisar sem compromisso de quem mais pode agregar valores).
Já vi várias jovens iludidas com o conto de fadas do "Eu escolhi esperar", acredito que  não seja culpa dos idealizadores e sim dos jovens que andam muito carentes e exigentes demais para com Deus!.


Qual a opinião de vocês?

27 de junho de 2014

Caio Fábio no The Noite com Danilo Gentili


Caio e sua babá, chorou copiosamente.Disse ele.


 Rô Moreira

Eu fico pasma com a mentalidade da nossa sociedade, não só da nossa sociedade que ja esta destruída moralmente, como disse Adélia: "é geral, o que era certo não é mais, os valores mudaram, na época da ditadura éramos mais livres que hoje". disse Adélia Prado.

Eu vou mais além, digo que a imoralidade esta em todas as esferas da sociedade, inclusive no meio dos que dizem ser do Evangelho. A mentalidade de certas pessoas que seguem certos lideres sem analisar sua vida cristã, sem analisar se o que aquele líder esta pregando tem respaldo Biblico, sem olhar a vida do cara que é testemunho para nossa. Um líder cristão tem que dá exemplo sim. "Mas Rô, todos nós somos pecadores". Aí eu te pergunto: E daí? Só porque somos pecadores não sabemos discernir o certo do errado? Não podemos mais julgar ?? Julgamos tudo e todos todos os dias.
 Ou você não discerne nada?. Eu fico pasma com certos comentários em defesa de lideres fracassados, que não cuidaram nem de suas próprias vidas e querem cuidar da vida dos outros. Vejo como valorizam a permissividade, a imoralidade, a lascívia, a pedofilia, tal como vi nesta entrevista do Caio ao Danilo Gentilli. Vi alguns defendendo as bobagens que o Caio falou, desrespeitando as mulheres, as crianças, e as profissionais (babás), banalizando o crime de pedofilia, por ter sido abusado aos 5 anos por sua babá e dar gargalhadas. Que tipo de líder é este? Ah sim, sei, um cara sem noção, irresponsável, um infeliz que põe a Bíblia em descrédito dizendo que o NT caducou, ficou obsoleto, desmereceu as palavras de Paulo, banalizando o pecado, diz que Jesus não se importa com o homossexualismo. Que tipo de pessoa acha graça de ter sido abusada aos 5 anos? Só um doente mesmo.
Aí eu te pergunto, é este tipo de "líder' que você insiste em defender dizendo que somos todos pecadores, e ainda vem com a teologia do "Não julgueis" que é uma desgraça e usam desta retórica para defender homens perdidos??
Eu lamento por você que segue um homem deste, que perde seu tempo assistindo videos dele no youtube. Pois esta te dando capim como alimento travestido de evangelho e usa da falsa piedade, te enganando. Isso é amor? É o Evangelho que ele diz seguir? Lamento por você que vive em um estagio degrádavel pois se alimenta de esterco e acha bom !!

E não fiquem zangados com a Rô, é só mais um papo de graça. Pensem nisso!





26 de junho de 2014

Culto Familiar

por A. W. Pink




Existem algumas ordenanças exteriores e meios de graça muito importantes que estão nitidamente implícitos na Palavra de Deus – mas para a prática destes nós temos pouco, quando algum, direcionamento e preceitos positivos; mas, nos é dado a obtê-los a partir do exemplo de homens santos e a partir de diversas circunstâncias secundárias. Uma importante finalidade é respondida por este arranjo: desta forma é feito o julgamento do estado de nossos corações. Isto serve para fazer evidente, se por um comando expresso não possa ser exigido o seu cumprimento, cristãos professos negligenciarão um dever claramente implícito. Deste modo, mais do estado real de nossas mentes é revelado, e isto torna manifesto se temos ou não um amor ardente a Deus e ao Seu serviço. Isto se aplica tanto ao culto público quanto ao familiar. Ainda assim, não é de todo difícil comprovar a obrigação da piedade doméstica.

Primeiro considere o exemplo de Abraão, o pai da fé e o amigo de Deus. Foi através de sua piedade doméstica que ele recebeu a bênção do próprio Jeová, “Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do SENHOR e pratiquem a justiça e o juízo” (Gênesis 18:19). O patriarca nisto foi elogiado, por instruir seus filhos e servos nos mais importantes de todos os deveres, “o caminho do SENHOR” – a verdade sobre a Sua Gloriosa Pessoa, Seu direito Supremo sobre nós, o que Ele exige de nós. Observem bem as palavras “para que [ele] ordene”, ou seja, ele usaria a autoridade que Deus lhe dera como pai e cabeça de sua casa, para aplicar os deveres da piedade familiar. Abraão também orou com, bem como instruiu a sua família – Aonde quer que fixasse a sua tenda, ali ele “edificou um altar ao Senhor” (Gênesis 12:7; 13:4). Agora, meus leitores, bem podemos perguntar-nos, somos nós a “descendência de Abraão” (Gálatas 3:29) – se nós “não fazemos as obras de Abraão” (João 8:39) e negligenciamos o importante dever do culto em família?

Os exemplos de outros homens santos são semelhantes ao de Abraão. Considere a piedosa determinação de Josué, que declarou a Israel, “porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Josué 24:15). Nem mesmo a elevada posição que ocupava, nem a urgência dos deveres públicos que o pressionavam, distraíram sua atenção do bem-estar espiritual de sua família. Novamente, quando Davi trouxe de volta a arca de Deus para Jerusalém com júbilo e ações de graça, depois do exercício dos seus deveres públicos, ele voltou “para abençoar a sua casa” (2 Samuel 6:20). Além destes eminentes exemplos, podemos citar os casos de Jó (1:5) e de Daniel (6:10). Limitando-nos à somente um [caso] do Novo Testamento, lembramos da história de Timóteo, que foi criado em um lar piedoso. Paulo trouxe à memória a “fé sincera” que havia nele, e acrescentou: “a qual habitou primeiro em tua avó Lóide, e em tua mãe Eunice”. Há aqui uma admiração tal que o apóstolo poderia dizer “E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras” (2 Timóteo 3:15)!

Derrama a tua indignação sobre as nações que não te conhecem e sobre os povos que não invocam o teu nome!” Jeremias 10:25. Nós imaginamos quantos de nossos leitores tem ponderado seriamente nestas temíveis palavras! Observem que terríveis ameaças são pronunciadas contra aqueles que negligenciam o culto familiar! Quão inefavelmente grave é descobrir que as famílias que não oram são aqui comparadas aos pagãos, que não conhecem ao SENHOR. Mas, isto não deve nos surpreender. Por que, existem muitas famílias pagãs que se reúnem em adoração aos seus falsos deuses. E eles não envergonham milhares de cristãos professos?

Quão ruidosamente estas palavras deveriam falar a nós. Não é suficiente que oremos individualmente em nossos quartos; também é exigido de nós que honremos a Deus em nossas famílias. A cada dia, todos os familiares devem estar congregados juntos para curvarem-se diante do Senhor – para confessar seus pecados, para dar ações de Graças pelas Misericórdias Divinas, para clamar por Seu auxílio e bênção. Nada deve ser permitido interferir neste dever: todos os demais compromissos domésticos devem ser submetidos a este. O chefe da família deve ser aquele que dirige as devoções – mas se ele estiver ausente – ou gravemente enfermo – ou se não for convertido, então a esposa pode substituí-lo. Sob nenhuma circunstância o culto familiar deve ser omitido. Se pretendemos desfrutar das bênçãos de Deus sobre nossa família – então, façamos com que os membros reúnam-se diariamente para louvar e orar. “Honrarei aqueles que me honram” é a Sua promessa.

Um antigo escritor bem disse, “Uma família sem oração é como uma casa sem telhado, aberta e exposta a todas as tempestades.” Todo o nosso conforto doméstico e misericórdias temporais, emanam da Benignidade do SENHOR. O melhor que podemos fazer em retribuição, é reconhecer agradecidos juntos, Sua bondade para com a nossa família. Desculpas contra o cumprimento deste dever sagrado – são indolentes e inúteis. De que servirá, quando nós prestarmos contas a Deus quanto à mordomia de nossas famílias – dizer que nós não tínhamos tempo disponível, trabalhando muito da manhã até a noite? Quanto mais urgentes são os nossos deveres temporais – maior é a nossa necessidade de buscar auxílio espiritual. Nem tão pouco cristão algum pode alegar que não estava capacitado para tal serviço – dons e talentos são desenvolvidos pelo uso – e não pela negligência.

O culto familiar deve ser realizado reverente, sincera e simplificadamente. Para que então, os pequeninos recebam as suas primeiras impressões e formem a sua concepção inicial a respeito do Senhor Deus.

Precisa-se ter grande cuidado para não dar a eles uma falsa ideia sobre o Caráter Divino, e para isto, deve-se preservar o equilíbrio ao comunicar sobre a Sua Transcendência e imanência, Sua Santidade e Sua Misericórdia, Seu Poder e Sua Ternura, Sua Justiça e Sua Graça. O culto pode ser iniciado com breves palavras de oração invocando a Presença e bênção de Deus. Pode-se seguir com uma pequena passagem da Sua Palavra, com breves comentários sobre a mesma. Dois ou três versos de um Salmo ou hino podem ser cantados. Encerra-se com uma oração de entrega nas Mãos de Deus. Ainda que possamos não ser capazes de orar com eloquência, podemos orar sinceramente. As orações breves são as que geralmente prevalecem. Cuidado para não cansar os mais jovens.

As vantagens e bênçãos do culto familiar são incontáveis.

Primeiro, o culto em família prevenirá muitos pecados. Ele gera temor na alma, transmite um senso da majestade e autoridade de Deus, determina solenes verdades diante da mente, e derrama bênçãos de Deus sobre o lar. Piedade pessoal no lar é um meio mais influente, abaixo de Deus, para estimular a piedade aos pequenos. Crianças são, em grande parte, criaturas de imitação, dedicando-se a copiar o que observam nos outros.

Ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e instituiu uma lei em Israel, e ordenou a nossos pais que os transmitissem a seus filhos, a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer se levantassem e por sua vez os referissem aos seus descendentes; para que pusessem em Deus a sua confiança e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos.” (Salmo 78:5-7).

Atualmente, quanto das terríveis condições moral e espiritual das multidões, poderiam ser provenientes da negligência de seus pais neste dever? Como estes que negligenciam o culto a Deus em suas famílias – esperam por paz e conforto nelas? Oração diária em casa é um abençoado meio de graça para dissipar aquelas tristes corrupções das quais nossa ordinária natureza é sujeita.

Finalmente, a oração em família obtém para nós a presença e a bênção do Senhor. Aí está uma promessa de Sua Presença que é particularmente aplicável a este dever, “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.” Mateus 18:20. Muitos têm encontrado no culto familiar, aquele auxílio e comunhão com Deus os quais eles têm buscado, com menor eficácia, na oração particular.

***
Tradução: Camila Rebeca Almeida
Revisão: William teixeira
Via: O Estandarte de Cristo

O Blog Teologia & Apologética recomenda o site O Estandarte de Cristo, o qual disponibiliza periodicamente excelentes artigos traduzidos de autores clássicos reformados. Inclusive esse artigo de A.W. Pink você poderá baixar gratuitamente em PDF aqui!

23 de junho de 2014

Blog Reinaldo Azevedo - Os últimos dias do PT no poder: a hipótese otimista e a pessimista

O PT realizou a sua convenção nacional neste sábado (post anterior) e oficializou a candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República. Ela vai ganhar? Ela vai perder? Não sei. Seja como for, estamos assistindo a um capítulo do fim de um ciclo. Se o PT tiver mais um mandato, o que espero que não aconteça, vai se arrastar no poder pelos próximos quatro anos, como um cadáver adiado. Não tem mais nada a oferecer ao país. Restará torcer para Dilma terminar o mandato sem uma crise de proporções gigantescas.
Acabou! Os petistas não têm mais futuro a oferecer. E explico o que quero dizer com isso. Um partido não tem de estabelecer com a sociedade uma relação de doador e donatário de benesses. Até porque a riqueza que se distribui tem de ser produzida por alguém — e, por certo, não é pelos partidos, não é mesmo? Quando afirmo que o petismo não tem mais “futuro” a oferecer, refiro-me à perspectiva de mudanças que possam efetivamente melhorar a vida dos brasileiros no médio e no longo prazos, fazendo deles mais do que pedintes e beneficiários de migalhas.
O repertório do PT se esgotou. Os programas sociais estão aí, em curso, mas a gestão não sabe como conciliar, em proporções ao menos razoáveis, crescimento econômico, combate à inflação e juros civilizados. Ao contrário: a realidade se tornou perversa, descompensada: inflação e juros altos para crescimento baixo. O que restou ao PT? Justamente a relação viciada de doador e donatário.
Para que esse discurso convença, é preciso demonizar o outro; transformá-lo na fonte de todos os males do Brasil e da política, a exemplo do que se viu, mais uma vez, neste sábado. A convenção petista, dados os discursos que lá se  fizeram — inclusive o da presidente —, oferece aos brasileiros apenas um debate sobre o passado. Lula, ele mesmo, foi bastante explícito a respeito. Convidou os presentes para a dialética do obscurantismo. Disse ser preciso convencer os eleitores que tinham 7, 8 anos quando o PT chegou ao poder e hoje estão com 19, 20. Afirmou que é preciso lhes dizer que quão ruim era o país…
Ocorre que só havia país em 2003 porque os tucanos haviam chegado ao poder em 1995 e porque o PT perdeu a guerra contra o Plano Real. Só havia país em 2003 porque havíamos vencido a batalha contra os fatores estruturais da hiperinflação. Só havia país em 2003 porque havíamos vencido a batalha em favor da privatização, que dotou o país de infraestrutura em setores essenciais. Quem, em 2002, votava pela primeira vez, aos 16, 17, 18, tinha de 8 a 10 em 1994, quando o plano foi implementado. A propósito: uma pessoa que nasceu em 1986 era uma criança no ano do Real, está hoje com 28, é um adulto, e não sabe o que é um país com hiperinflação. E só não sabe porque o PT foi derrotado em 1994 e 1998 e porque teve de jogar fora o seu programa para se eleger em 2002.
A disputa sobre o passado, como a propõe o partido, é essencialmente desonesta; é intelectualmente vigarista, porque define o adversário como um monopolista do mal e se coloca como um monopolista do bem. “E os adversários do PT? Não fazem o contrário?” Não. Desconheço quem lastime ou reprove a ampliação de programas sociais que o partido levou adiante no poder. Podem não ser, e não são, a resposta para todos os males, mas se trata de um ativo que a legenda tem — e reconhecido por todos. O PT, no entanto, é incapaz de admitir que é uma realidade derivada da estabilidade econômica contra a qual lutou. “Fez isso porque era mau?” Não! Porque, em razão de preconceitos ideológicos, não reconhecia seus instrumentos como válidos. E estava, obviamente, errado.
Agora o país chegou a um nó que requer mais do que o tatibitate redistributivista do PT. E a turma não sabe o que fazer. Está ilhada em seus próprios preconceitos e sua falta de alternativa. Daí que pretenda fortalecer essa fachada de grande doador de benesses, acusando o adversário de verdugo das causas sociais. Como resta pouco a oferecer no terreno da doação, os petistas repetem a sua propaganda de TV, inventam um passado que não existiu e o colocam como uma sombra a ameaçar o futuro.
Na convenção, em suma, o PT apelou a um passado que não houve para capturar as pessoas para um futuro que, com o PT no poder, jamais haverá. Não sei se vai funcionar. Caso seja bem-sucedido, depois de uma luta difícil — o que o obrigará a multiplicar o “promessismo” —, uma coisa é certa: será a última vez. O PT está por pouco: na hipótese otimista, seis meses. Na pessimista, quatro anos e meio. E aí o país se liberta de uma formidável teia de mistificação. Até poderia se cobrir de glórias. Mas, para tanto, teria de ser um defensor incondicional da democracia. O partido que faz lista negra de jornalistas, no entanto, gosta mesmo é de ditadura. “Ah, mas não é um ditador!” É só porque não pode, não porque não queira.
PS: Será que aquele comentador de peladas acha este um texto que “espalha o ódio”, escrito para “leitores fanáticos”?
Por Reinaldo Azevedo

20 de junho de 2014

Agora gays podem casar na igreja presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA)


sexta-feira, junho 20, 2014


No dia 19 deste mês (Junho de 2014) a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA) aprovou com maioria folgada uma alteração na sua Constituição. Em vez de dizer “o casamento é entre um homem e uma mulher,” a Constituição da PCUSA agora diz “o casamento é entre duas pessoas”. Obviamente, a alteração foi feita para poder acomodar dentro da PCUSA os gays que querem casar na igreja e ter cerimônia religiosa realizada por pastores/pastoras presbiterianos.

Esse é mais um passo na direção da apostasia, desde que a PCUSA entrou pelo caminho do liberalismo teológico. Veja a notícia aqui

Antes de mais nada, preciso esclarecer que essa denominação norte-americana nada tem a ver com a Igreja Presbiteriana do Brasil. Na verdade, a IPB tem consistentemente rechaçado nas últimas décadas todas as tentativas oficiais de aproximação com PCUSA, feitas tanto das bandas de lá como das bandas de cá. É injusto colocar todos os presbiterianos no mesmo saco em que esta denominação apóstata se meteu. Ela traiu sua herança presbiteriana e o que é mais importante, traiu o Cristianismo bíblico.

Não vou dizer que fiquei estarrecido, surpreso ou chocado com a decisão tomada finalmente pela assembléia geral da PCUSA. Não estou surpreso porque já era de se esperar que tal coisa acontecesse, cedo ou tarde. Afinal, as decisões que vinham sendo tomadas por esta denominação presbiteriana em décadas recentes, não poderiam levar a outra coisa senão a decisões como tais. A decisão de aceitar casamento gay como sendo cristão é o resultado da fermentação de vários conceitos e pressupostos que ao longo do tempo foram lentamente sendo introduzidos na alma da denominação, formando irreversivelmente a sua maneira de pensar e de agir.

Tudo começou quando a PCUSA passou a tolerar que o liberalismo teológico fosse ensinado nas suas instituições teológicas, as quais são responsáveis pela formação teológica, eclesiástica e ministerial dos seus pastores. O liberalismo teológico retira toda a autoridade das Escrituras como palavra de Deus, introduz o conceito de que ela é fruto do pensamento ultrapassado de gerações antigas e que traz valores e conceitos que não podem mais ser aceitos pelo homem moderno. Assim, coloca a Bíblia debaixo da crítica cultural. O passo seguinte foi a aprovação da ordenação de mulheres cristãs ao ministério, em meados da década de 60, com base exatamente no argumento de que os textos bíblicos que impõem restrições ao exercício da autoridade eclesiástica por parte da mulher cristã eram culturalmente condicionados, e portanto impróprios para a nossa época, em que a mulher já galgou todas as posições de autoridade.

O argumento que vem sendo usado há décadas pelos defensores do homossexualismo dentro da PCUSA segue na mesma linha. Os textos bíblicos contrários ao homossexualismo são vistos como resultantes da cosmovisão cultural ultrapassada dos escritores bíblicos, refletindo os valores daquela época. Em especial, os textos de Paulo contra o homossexualismo (Romanos 1 em particular) são entendidos como condicionados pelos preconceitos da cultura antiga e pela falta de conhecimento científico, que segundo os defensores do homossexualismo hoje já demonstra que ser gay é genético, não podendo, portanto, ser mais considerado como desvio moral ou pecado. Já que a cultura moderna mais e mais aceita o homossexualismo como normal, chegando mesmo a reconhecer o casamento entre eles em alguns casos, por que a Igreja, que deveria sempre dar o primeiro exemplo em tolerância, aceitação e amor, não pode receber os homossexuais como membros comungantes e pastores da Igreja? Essa foi a argumentação que finalmente prevaleceu, pois a decisão permite que homossexuais praticantes considerem a sua escolha sexual como uma questão secundária e não como matéria de fé, sujeita à disciplina eclesiástica da denominação.

Não estou dizendo que todos os que defendem a ordenação de mulheres necessariamente são defensores da ordenação gay e do casamento de homossexuais. Tenho bons amigos que defendem um e abominam o outro. Estou apenas dizendo que, em ambos os casos, o argumento usado para sua aprovação dentro da PCUSA foi o mesmo: o que os escritores bíblicos dizem sobre estes assuntos não tem validade para os dias de hoje, e portanto, a Igreja deve se guiar por aquilo que é culturalmente aceitável, politicamente correto e que faz parte do bom senso comum.

Existe uma brava minoria dentro da PCUSA que, de longa data, tem lutado contra a introdução desses conceitos. Agora, assiste com tristeza a derrota bater à sua porta. Desde que a PCUSA aceitou o homossexualismo, mais de 10.000 igrejas já saíram dela. Esta que já foi a maior denominação presbiteriana do mundo hoje está reduzida a 1,8 milhões de membros. E este número cai mais a cada ano. 

Não devemos pensar que esse é um problema que se restringe àquela denominação americana. Os mesmos pressupostos que a levaram a tomar essa decisão já estão em operação em nosso país, a começar pelos seminários e instituições de ensino teológico que já caíram vítimas do método histórico-crítico de interpretação, do liberalismo teológico, do pragmatismo e do relativismo. O campo está sendo preparado no Brasil para que em breve evangélicos passem a considerar a homossexualidade como sendo uma questão pessoal e secundária, abrindo assim a porta para ordenação de gays e lésbicas praticantes ao ministério da Palavra e para a realização de casamento gay nas igrejas evangélicas.

Acredito que a única medida preventiva é não abrirmos mão da legitimidade e aplicabilidade dos valores e dos ensinamentos bíblicos para todas as épocas e culturas. Isto nos permitirá sempre fazer uma crítica da cultura a partir do referencial da Palavra inspirada e infalível de Deus. Foi quando a PCUSA subjugou a Bíblia à cultura que a lata de minhocas foi aberta. A Bíblia passou a ser julgada pela cultura. Vai ser difícil para liberais, neo-ortodoxos, libertinos e outros grupos no Brasil, que de maneiras diferentes colocam a cultura à frente da Bíblia, resistir à pressão. Quem viver, verá.

Mais artigos sobre o assunto aqui no blog Tempora-Mores:

http://tempora-mores.blogspot.com.br/2011/02/pcusa-prestes-se-dividir.html
http://tempora-mores.blogspot.com.br/2012/01/decepcionados-com-ordenacao-de.html
http://tempora-mores.blogspot.com.br/2006/07/denominao-americana-finalmente-aprova.html
http://tempora-mores.blogspot.com.br/2011/05/por-que-igrejas-presbiterianas-pelo.html

19 de junho de 2014

Pastor Marcos Pereira: recurso contra condenação de 15 anos de prisão

defesa do pastor Marcos Pereira, líder da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), entrou com recurso contra a condenação por estupro, mas o pedido foi negado pela 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.
O relatório da negativa foi divulgado nesta segunda-feira, 16 de junho, após apreciação do recurso. A desembargadora Suely Lopes Magalhães considerou que Pereira é culpado das acusações. O pastor foi condenado, em primeira instância, a 15 anos de prisão por estupro e coação de fiéis.
Preso há mais de um ano no Complexo Bangu, em Gericinó, o controverso líder pentecostal foi condenado em setembro de 2013. Segundo o inquérito policial, Pereira teria estuprado uma fiel da ADUD no templo da denominação, em 2006.
Durante as investigações, Marcos Pereira teve sua vida pessoal devassada, e conversas por telefone com teor erótico entre o pastor e fiéis da ADUD foram divulgadas, além das acusações de que ele promovia orgias num apartamento da igreja no Rio de Janeiro.
À época, o pastor e os advogados de defesa negaram todas as acusações, e afirmaram que as gravações haviam sido manipuladas para prejudicar o líder religioso. A esposa do pastor entrou na campanha em sua defesa e negou que estivessem separados e disse que as supostas vítimas eram mentirosas.
Uma das mulheres que inicialmente acusavam Marcos Pereira de estuprá-la voltou atrás e gravou depoimento dizendo que havia sido convencida por desafetos do pastor, ligados à ONG Afroreggae, de caluniar o pastor da ADUD. José Junior, presidente do Afroreggae, concedeu entrevistas à época comemorando a prisão de seu desafeto.
Marcos Pereira tornou-se nacionalmente conhecido por intermediar rebeliões em presídios cariocas e interromper bailes funk para pregar. Uma reportagem do Fantástico, da TV Globo, mostrou o pastor interrompendo uma execução de um bandido que havia sido condenado à morte pelo tráfico que comanda os morros do Rio de Janeiro.
Fonte: Gospel Mais

Silvio Santos fala sobre sexo antes do casamento e aconselha sua filha em pleno programa.

Silvio expõe sua filha sobre sexo antes do casamento. Gostei Silvio!!

REINALDO DÁ PITI E AMEAÇA PROCESSAR CANTALICE


Em artigo publicado no 247, Alberto Cantalice classificou o blogueiro Reinaldo Azevedo como um dos propagadores do ódio na sociedade brasileira, o que, praticamente, já não se discute mais; em resposta, Azevedo anunciou que irá processá-lo e insinuou até que sua integridade física estaria ameaçada, uma vez que Cantalice pertenceria ao partido de Celso Daniel; é mole?
17 DE JUNHO DE 2014 ÀS 09:08
247 - Um artigo publicado ontem por Alberto Cantalice (leia aqui "A desmoralização dos pitbulls da mídia"), vice-presidente do PT, no 247, provocou uma reação exacerbada de Reinaldo Azevedo, blogueiro neoconservador de Veja.com.
No texto, Cantalice inclui Azevedo numa relação de jornalistas que fomentariam o ódio como instrumento de sua luta política. Para um blogueiro como Azevedo, que cunhou o termo "petralha", esse tipo de crítica deveria ser encarado com naturalidade.
No entanto, o blogueiro deu um verdadeiro piti, um chilique. Publicou um longo texto em que anuncia que irá processar Cantalice e diz até que sua integridade física, a partir de agora, estaria ameaçada, uma vez que o autor da crítica faria parte do "partido de Celso Daniel". Eis abaixo:
DECIDI MANTER ESTE POST ANO ALTO DA PÁGINA. COMENTEM COM MODERAÇÃO E SERENIDADE, TUDO AQUILO QUE ESTE SENHOR QUE APARECE AÍ ABAIXO NÃO TEM. SOMOS DE OUTRA NATUREZA.
*
Alberto Cantalice, vice-presidente do PT, divulga no site do partido lista negra de jornalistas. Um assunto para a Justiça e para a Polícia Federal
Os petistas, saibam os senhores, pedem a cabeça de jornalistas para seus respectivos patrões. O partido tem nas mãos instrumentos para fazê-lo: anúncios da administração direta e propaganda de estatais. Alguns cedem, outros não! Denunciei aqui a fala de um certo José Trajano na ESPN e AFIRMEI QUE ELE NÃO ESTAVA PENSANDO APENAS POR SUA CABEÇA. DEIXEI CLARO QUE ELE VOCALIZAVA PALAVRAS DE ORDEM DO PT. Muitos não acreditaram. Pois é…
A opinião do sr. Trajano sobre mim e sobre os demais que ele atacou (Augusto Nunes, Diogo Mainardi e Demétrio Magnoli) pode ser moralmente criminosa, mas não vai além disto: dolo moral. Ele tem o direito de achar a respeito dos meus textos o que bem entender. E eu tenho o direito de responder. Se ele se sente bem com o seu oficialismo de contestação, aí é problema dele.
É diferente, no entanto, quando um político acusa jornalistas de cometer um crime. Aí a coisa pega. O sr. Alberto Cantalice, vice-presidente do PT e “coordenador das Redes Sociais do partido” escreveu um artigo no site do PT em que se pode ler esta pérola.

Observem que os quatro da lista de Trajano estão também na de Cantalice, que vem ampliada. Não sei o que farão os outros. Sei o que eu farei. Estou anunciando aqui que vou processá-lo. E a razão é claríssima. Ele está me acusando se estimular a que outros “maldigam os pobres” e os discriminem em ambientes públicos. Se eu faço isso, então eu sou um criminoso. Violo um artigo da Constituição e da Lei 7.716, alterada pela Lei 9.459. Vale dizer: transgrido a Carta Magna do meu país e cometo um crime previsto em lei. ENTÃO O SR. CANTALICE VAI TER DE PROVAR O QUE DIZ. ELE VAI TER DE DIZER EM QUE ARTIGO E EM QUE MOMENTO EU PREGUEI A DISCRIMINAÇÃO CONTRA OS POBRES.
Para esclarecer a questão constitucional e legal. Estabelece o Inciso XLI da Constituição:
“XLI – a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais”.
Define a Lei 7.716, depois de alterada pela 9.459:
“Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97)
Pena: reclusão de um a três anos e multa.(Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97)
Como sabem os advogados, a discriminação por condição econômica tem sido considerada pelos juízes da mesma natureza das categorias acima previstas. Assim, o sr. Cantalice acusa esse grupo de jornalistas de cometer crimes que rendem até três anos de prisão. Vai ter de provar. Se não provar, incorre no crime de calúnia e difamação.
Atenção! Este senhor é o  “coordenador da redes sociais DO partido”, entenderam? Não é que ele seja o coordenador do partido para as redes sociais. Não!!! Levadas as palavras ao pé da letra, os petistas julgam já ter privatizado as redes sociais. Não deixa de ser verdade.
O sr. Cantalice vai mais longe, Ele descobriu que esse grupo de jornalistas — e vejam quanto poder ele nos confere — é responsável pela vaia que Dilma levou nos estádios. Também ele recorre à metáfora canina para nos designar. Leiam:

Muito bem! Vocês sabem o que isso significa: quando o maior partido político do país, que tem, de fato, milhares de seguidores — alguns deles podem estar dispostos ao tudo ou nada — nomeia um grupo restrito de jornalistas como propagador do ódio, acusando-o, adicionalmente, de responsável por vaiais e xingamentos de que foi alvo a presidente Dilma, isso corresponde, me parece, a um convite a uma ação direta.
Não é segredo para ninguém que certo tipo de militância não precisa de palavras explícitas para agir. O sr. Cantalice está pondo em risco a segurança de profissionais da imprensa. Talvez queira isto mesmo: calar a divergência por intermédio da intimidação e do terror. Que este post sirva de alerta à Polícia Federal e ao Ministério Público. Evidentemente, nenhum de nós deve esperar a solidariedade e o protesto de entidades de defesa da categoria. Sabem por quê? Porque os respectivos comandos da maioria delas pensam a mesma coisa. Também elas acham que deveríamos ser proibidos de escrever o que escrevemos, de falar o que falamos, de pensar o que pensamos. IMAGINEM O QUE ACONTECERIA SE UM GRUPO OU UMA ENTIDADE CONSIDERADOS DE DIREITA TORNASSE PÚBLICA UMA LISTA DE DESAFETOS. O MUNDO VIRIA ABAIXO. O PT repete a tática da ditadura militar e resolveu espalhar no mural da rede os nomes e as fotografias dos “Procurados”. 
Bando de fascistas!O petismo é a mais perfeita definição do que muitos chamam nos EUA de “fascismo de esquerda”. Qualquer pessoa que tenha lido o que escrevemos ou ouvido o que falamos sabe que pensamos coisas distintas sobre um monte de assuntos. Nunca nem mesmo conversei com Guilherme Fiúza, por exemplo. Duvido que Arnaldo Jabor queira papo comigo.
Com isso, estou deixando claro que não formamos um grupo. Pode ser que os petistas estejam acostumados a conversar com quadrilheiros disfarçados de jornalistas. Não é o caso.
Eu, sim, acuso o governo do seu partido, sr. Cantalice, de financiar com dinheiro público páginas na Internet e blogs cujo propósito é difamar a imprensa independente, as lideranças da oposição e membros do Poder Judiciário que não fazem as vontades do PT. E o senhor certamente não vai contestar porque é autodemonstrável.
O PT começou a sua trajetória no poder hostilizando a imprensa que não se limitava a prestar assessoria ao partido. Depois, passou a financiar o subjornalismo “livre como um táxi”. Aí tentou (e tenta ainda) criar mecanismos de censura. Agora, já chega ao ponto de estimular, ainda que de modo oblíquo, a agressão aos profissionais que não rezam segundo a sua cartilha. A esmagadora maioria da categoria vai silenciar — até porque alguns fazem esse mesmo trabalho em suas respectivas colunas, não é mesmo? Ok. Hoje, somos nós. Amanhã, chegará a vez de vocês. É simples assim. E é sempre assim.
Vaias
Eu sou responsável pelas vaias? Eu não! Quem estimulou as manifestações de rua em junho foi o PT. Eu sempre as critiquei. Ademais, sabem o que motiva vaia em estádio, meu senhor? Eu conto: roubalheira, safadeza, associação com o PCC.
Sem contar que quero encontrar cara a cara com esse sujeito num tribunal. Quero perguntar quais são as suas credenciais e sua origem para falar em nome do povo. Quero opor as minhas às suas. Quero lhe dizer que o governo que ele representa financiou, por exemplo, a ação de sem-terra e índios que resultou em policiais feridos em Brasília. Quero lhe dizer que seus aliados deram suporte a coisas como a “Mídia Ninja” na esperança de que os alvos seriam os adversários. O tiro saiu pela culatra, a despeito das intenções da turma.
O sr. Cantalice quer saber onde estão os responsáveis pela hostilidade a Dilma nos estádios? Comece por se olhar no espelho. O PT estimula a desordem. O PT estimula o desrespeito às leis. O PT estimula o desrespeito a qualquer hierarquia. O PT estimula o desrespeito até mesmo à organização familiar. O partido esperava escapar do clima que ele próprio criou?
De resto, se as hostilidades a Dilma foram um “gol contra” dos que não gostam dela e se a maioria “abominam” (sic) aquele comportamento, o sr. Cantalice deveria estar contente, não é mesmo? O PT está empenhado em fazer do limão uma limonada. Ao isolar o grupo dos “jornalistas do mal”, ameaça, na prática, todos os outros. É como se dissesse: “Comportem-se, ou vocês vão entrar na lista negra”. E, claro!, muita gente vai se comportar e ainda achar pouco!
É claro que fico preocupado quando lembro que o sr. Cantalice pertence ao partido de Celso Daniel. Terei, é certo, de tomar as devidas providências para a minha segurança. E acho que os outros devem fazer a mesma coisa.

PT lança ofensiva contra jornalistas. Episódio da semana: Cantalice no país das armadilhas

Felipe Moura Brasil

Cantalice DilmaAlberto Cantalice, vice-presidente nacional do PT e coordenador das Redes Sociais do partido,escreve coisas como “diurtunamente”, “o repúdio (…) demonstram” e “a maioria (…) abominam”; usa vírgulas com a mesma destreza com que Dilma canta “Répi Bãrsdei Tu Iul”; e, com aquela mistura de demagogia, vitimismo e intolerância que é a própria essência do PT, ainda ataca os jornalistas “pitbulls do conservadorismo”, “profetas do apocalipse político”, “divulgadores de uma democracia sem povo”, “arautos do caos” e “propagadores do ódio” que “lançam vitupérios, achincalhes e deboches” contra o petismo (que ele naturalmente chama de “avanços do país”).
Mas como não debochar de um petista que, no momento mesmo em que agride o idioma pátrio, diz que “A hora é de renovar as esperanças e acreditar no Brasil”? Como não lhe lançar achincalhes (e como não torcer para que o processem por calúnia e difamação) se o sujeito acusa Reinaldo Azevedo, Arnaldo Jabor, Demétrio Magnoli, Guilherme Fiúza, Augusto Nunes, Diogo Mainardi, Lobão, Danilo Gentili, Marcelo Madureira e outros de estimular “setores reacionários e exclusivistas da sociedade brasileira a maldizer os pobres e sua presença cada vez maior, [esta é uma das vírgulas erradas, ok?] nos aeroportos, nos shoppings e nos restaurantes” sendo ele incapaz de citar um só desses que tenha feito tal coisa e se é ele próprio quem no mesmo texto maldiz os ricos, fomentando o ódio de classe? Como não vituperar (no sentido de desaprovar, desprezar) o homem que critica os “xingamentos torpes e vergonhosos à presidenta Dilma” em um “deprimente espetáculo dos vips” na estreia do Brasil na Copa, ao mesmo tempo em que mente sobre os adversários com os autênticos modos do cinismo petista?
Marcelo MadureiraImpossível. Nota-se que os militantes analfabetos conhecidos como MAVs (da Mobilização em Ambientes Virtuais do PT), que infectam as seções de comentários dos nossos blogs e Facebooks, tiveram um chefe a quem puxar. O exemplo vem sempre de cima – e o método, da União Soviética mesmo. Stalin mandava fuzilar um milhão de pessoas e, ao mesmo tempo, escrevia em editorial do Pravda de 1935: “De todos os ativos do mundo, gente constitui o capital mais valioso e decisivo”. Agora o PT lança sua ofensiva bolivariana contra jornalistas para que possa decretar seus golpes sem ter quem os denuncie, fazendo da mídia inteira um grande Brasil 171, quiçá com editorial (estou inventando, ok?) de Cantalice: diurtunamente [sic], o partido demonstram [sic] total tolerância a [sic] divergência. Hugo Chávez fechou a emissora RCTV inteira em 2007, mas o negócio do PT, enquanto controla as emissoras que pode com verbas estatais, é calar um por um os formadores de opinião independentes fora ou dentro delas, como mostra o caso SheherazadeO desespero ante o risco de perder as eleições só acentua o stalinismo petista.
O episódio da semana é Cantalice no país das armadilhas (aquelas que levaram à morte seu partidário Celso Daniel). O partido de Lula é assim: agride a pluralidade tanto quanto os plurais.
Felipe Moura Brasil - http://www.veja.com/felipemourabrasil

PT acusa Danilo Gentili de “estimular ódio”; apresentador se defende Humorista respondeu crítica em seu Facebook



Por FAMOSIDADES
RIO DE JANEIRO – Danilo Gentili foi posto na 'lista negra' do PT. No site do partido político, Alberto Cantalice, vice-presidente e coordenador das redes sociais da legenda, divulgou um texto condenando as vaias recebidas por Dilma Rousseff na abertura da Copa do Mundo e afirmou que a atitude partiu de formadores de opiniões, como o apresentador do SBT.
O petista acusou o humorista, dentre outros famosos - como Marcelo Madureira e Arnaldo Jabor -, de “estimular setores reacionários e exclusivistas da sociedade brasileira a maldizer os pobres e sua presença cada vez maior nos aeroportos, nos shoppings e nos restaurantes”.
Gentili, por sua vez, lamentou a situação e colocou a boca no trombone contra o PT em seu Facebook: “É oficial: PT quer a minha cabeça. Agora é oficial. A caça às bruxas começou. Não, ninguém vai atirar na Marta Suplicy. É o partido dela que está querendo atirar nos outros. O PT colocou em seu site que quer a minha cabeça - e também a de outros jornalistas e artistas que cometeram o terrível crime de discordar deles. Portanto, se você tem um cérebro e é alfabetizado, cuidado! Você pode ser o próximo”.
E continuou: “Eles dizem no site deles que eu devo ser perseguido porque odeio pobres. Se fosse verdade que eu só gosto de ricos, eu seria amigo do filho do Lula. Mas a real é que o PT está oficialmente encorajando seus eleitores a me agredirem e hostilizarem pelas ruas. E dá até medo. Se os eleitores do PT conseguiram f**** um país inteiro, imagina o que não podem fazer comigo”.
O apresentador finalizou seu texto debochando da legenda: “Mas mesmo assim preciso dizer que acho demais estar na lista negra do PT. Estar na lista negra do PT é como ser algo que está no meio da podridão, sofrendo ataques constantes e, ainda assim, resiste. É como se eu fosse o fígado do Lula. Enfim, PT, vocês querem minha cabeça? Podem vir pegar. Mas não venham usando camisetas com foto da Dilma, senão a cabeça que querem estará mole”.

Msn

18 de junho de 2014

Parecia o MST, mas eram chilenos invadindo o Maracanã.


Rô Moreira

Um grupo de cerca de cem chilenos sem ingressos invadem o Maracanã com a desculpa que o ingresso está caro, a princípio alegaram que um torcedor estava passando mal para distrair os seguranças, logo depois veio uma avalanche de torcedores entrando e quebrando tudo o que via pela frente, pareciam black block. Mas eram o MCSI (Movimento Chileno dos Sem Ingressos ).
Este é o reflexo atual do desgoverno brasileiro, até os gringos afrontam a ordem por aqui. Essa é a copa das copas, pois jamais na história dos mundiais se viu algo parecido.
 É o exemplo que vem de Brasília, onde mensaleiros são defendidos até as últimas instâncias, nem que para isso o chefe do judiciário seja ameaçado de morte, é o reflexo dos desvios da Petrobras, do superfaturamento das obras da copa.
Uma pena ver o meu país nesta condição de fragmentação em todas as áreas. País sem educação, sem cultura, sem saúde, sem segurança, sem o respeito até dos turistas que estão por aqui para assistir aos jogos da copa. Mas para quem gosta de criar grupos para dividir a sociedade e provocar o caos é bem feito, Toma mais  essa Petralhas, vocês merecem!


16 de junho de 2014

Tucano rebate petista a respeito de acusações mútuas de corrupção em seus governos


Folhapress - 29.out.2002
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) divulgou nota em seu perfil numa rede social na qual responde ao também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“Lamento que o ex-presidente Lula tenha levado a campanha eleitoral para níveis tão baixos. Na convenção do PSDB não acusei ninguém; disse que queria ver os corruptos longe de nós. Não era preciso vestir a carapuça”, diz FHC em seu post.
A altercação começou no sábado (14.jun.2014), quando, no fim do dia, Lula comentouo discurso que FHC havia feito um pouco mais cedo: “Vi o ex-presidente falar com a maior desfaçatez: 'É preciso acabar com a corrupção'. Ele devia dizer quem é que estabeleceu a maior promiscuidade entre Executivo e Congresso quando ele começou a comprar voto para ser aprovada a reeleição”.
FHC continua em seu post: “Não é verdade que a oposição pretendesse derrubar o presidente Lula em 2005 [época do mensalão]. Na ocasião, pedimos justiça para quem havia usado recursos públicos e privados na compra de apoios no Congresso, o que foi feito pelo Supremo Tribunal Federal”.

Uol
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...